Controle tecnológico do concreto

controle-tecnologico-1A busca da excelência em Qualidade é a atividade prioritária da CONTECH. Com esta visão, desde sua criação, tem investido em pesquisa, aprimoramento do seu corpo técnico e atualização dos equipamentos que utiliza.

Falar em controle tecnológico do concreto, significa falar principalmente, no controle dos materiais que fazem parte da sua composição, pois as principais "doenças" que podem afetar o concreto, estão intimamente ligadas à falta de qualidade dos materiais que o compõem.

É importante que o construtor tenha uma noção básica sobre este assunto, antes de iniciar um processo de "rodar o concreto na obra", pois a economia, neste caso,pode se transformar em uma grande dor de cabeça.

A NBR 12654 (Controle Tecnológico dos Materiais Componentes do Concreto) dispõe sobre os ensaios que devem ser efetuados nestes materiais. Como sabemos que é praticamente impossível encontrar materiais totalmente isentos de substâncias nocivas, as normas desempenham um papel de fundamental importância, pois nos apresentam os limites de tolerância destes elementos.

Já entre as determinações da NBR 12655 (Concreto – preparo, controle e recebimento) existe a obrigatoriedade de uma dosagem experimental para concretos com resistência igual ou superior a 15 MPa.

Portanto, a contratação de um laboratório gabaritado para a execução destes serviços é de fundamental importância para quem quer fazer seu próprio concreto.

No caso de quem compra o concreto dosado em central, os encargos com os ensaios dos materiais e com as dosagens experimentais, já estão implícitos nas responsabilidades da própria concreteira. Isto não impede que o comprador faça ensaios paralelos, ou solicite para que a concreteira lhe forneça para análise, os resultados dos ensaios que ela fez em seus materiais.

Além das dosagens experimentais e dos ensaios dos materiais, o Controle Tecnológico do Concreto estabelece que sejam feitos ensaios de amostras retiradas do concreto fresco. Com mais este procedimento, está fechado o círculo dos cuidados necessários para se manter constante a qualidade exigida do concreto, sendo estes ensaios utilizados também como parâmetros para a aceitação do concreto.

Fonte: Portal do Concreto

CONFIE SUA OBRA EM QUEM SABE O QUE FAZ, FAÇA O CONTROLE COM A CONTECH CONTROLE TECNOLÓGICO.
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Fone: (62) 3264 7668
Celular: (62) 8258 3637

"Engenharia inspirada em LEGO" pode revolucionar a construção civil

eng.inspi.legoBastante familiar a quem já montou colossais miniaturas com dezenas de peças LEGO, o projeto idealizado pela companhia Kite Bricks pretende revolucionar a área da construção civil. Sob o nome de "Smart Brick", a empreitada constitui-se como um mecanismo eficaz, mais barato e limpo de produção de edificações. Já protegido pelo órgão de registro de patentes dos EUA, o sistema, uma vez reificado, será capaz de construir pontes, casas, edifícios ou calçadas. Alto controle térmico, dutos para a passagem de fiação, resistência e "elasticidade" são alguns dos aspectos dos blocos inteligentes de tijolos (visite o site de Kite Bricks aqui).

A redução de custos estimada para a construção, por exemplo, de um prédio com oito andares fica em cerca de 50%. Além desta vantagem, as propriedades térmicas dos tijolos possibilitam a economia de até 60% de energia – variações de temperatura exigem que aquecedores ou ventiladores sejam ligados; neste novo e promissor cenário, um isolamento singular seria feito. "Há um eficaz redirecionamento de calor durante o verão e uma retenção de temperatura intensa no inverno – o que permite maior controle térmico e economia de energia", explicam os desenvolvedores do projeto.

Importante observar também a forma como a edificação é construída. Conforme demonstrado pelo vídeo publicado pela própria Kite Bricks, cada recinto é primeiramente criado em ambiente virtual. Em etapa posterior, a quantidade exata de peças adequadas a cada um dos setores da construção é depositada sobre o terreno onde a construção será feita. E quem coloca as "mãos na massa" é uma robusta e precisa máquina de encaixe. Vale notar que todas as peças podem ser facilmente substituídas – se parte da parede ou teto começar a rachar, basta fazer uma rápida troca.

Neste momento, os tijolos inteligentes Smart Bick são ainda um promissor projeto – o montante de US$ 3 milhões deve ser arrecadado pela companhia para que o primeira produção em larga escala possa acontecer (saiba mais aqui, em inglês). "O método de construção inteligente também reduz de forma significativa as exigências de materiais como areia, ferro e água. Os blocos foram criados com a ajuda de especialistas em engenharia e design; por serem extremamente fortes, os tijolos podem resistir até mesmo a terremotos", afirmam também os "pais" de Smart Brick.

 Fonte: TecMundo

 

Empresa chinesa constrói dez casas com impressora 3D em 24 horas

casa-empresa-chinesa-01Imóveis de 200 m² que serão usados como escritórios têm paredes feitas com finas camadas sobrepostas.

A empresa chinesa Winsun New Materials, sediada em Suzhou, construiu dez casas de 200 m² no período de 24 horas utilizando impressoras 3D de 6,5 metros de altura. O dispositivo, que utiliza cimento e fibra de vidro para produzir materiais construtivos, demorou 12 anos para ser desenvolvido e custou cerca de 3 milhões de euros. A Winsun estima que, em seu processo de impressão, seja usada metade do valor necessário para construções com métodos tradicionais.

As paredes das casas, que serão usadas como pequenos escritórios, foram feitas com camadas sobrepostas e o processo de impressão, feito na Fábrica Yingchuang New Materials's, se deu com até quatro impressoras 3D operando ao mesmo tempo.

A única parte que não foi impressa é a dos telhados. Segundo a Winson, ainda levará um tempo até que a tecnologia da impressora seja capaz de produzir as telhas.
Alinhados às leis ambientais da China, a empresa planeja utilizar resíduos de demolição na construção de novos edifícios por meio da impressão 3D.

Estudo de Dosagem

O estudo de dosagem dos concretos de cimento Portland pode ser definido como um dos procedimentos necessários para obtenção da melhor proporção entre os materiais que compõem o concreto, ou seja, seu traço, que pode ser expresso em massa ou volume, sendo preferível e sempre mais rigorosa a proporção expressa em massa seca de materiais.
A existente necessidade econômica de reduzir custos nas etapas de produção, execução e manutenção das obras de concreto geram a necessidade de otimização do processo produtivo, com a finalidade de se obter um produto de propriedades e características mais uniformes, apresentando melhor desempenho e uma durabilidade compatível com as especificações descritas no projeto da obra, com custo ajustado às possibilidades do mercado consumidor.
A obtenção de bom desempenho nas propriedades do concreto irá depender tanto dos materiais que o compõe, como das proporções entre eles. No Brasil ainda não está regulamentado como deve ser realizado um estudo de dosagem (HELENE, 2005), com isso vários pesquisadores têm proposto seus próprios métodos de dosagem, tais como: o método do IPT/EPUSP, proposto inicialmente por Ary Frederico Torres, em 1927, no Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo e posteriormente adaptado e divulgado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (HELENE; TERZIAN,1992); o método INT (Instituto Nacional de Tecnologia do Rio de Janeiro), desenvolvido a partir de 1937, por Fernando Luiz Lobo Carneiro; o método ITERS, desenvolvido a partir de 1951 no Instituto Tecnológico do Estado do Rio Grande do Sul pelo professor EládioPetrucci; o método da ABCP/ACI, desenvolvido pelo American Concrete Institute e adaptado à realidade nacional na Associação Brasileira de Cimento Portland pelo engenheiro Públio Penna Firme Rodriguez; entre outros métodos. Para Boggio (2007), os métodos de dosagem do concreto surgiram como ferramenta básica indispensável para encontrar um ótimo desempenho físico- mecânico, além de maior durabilidade, com menor custo e melhor qualidade, já que um estudo de dosagem sempre é realizado visando à obtenção de uma mistura ideal e mais econômica.
Apesar de os métodos de dosagem diferirem entre si, certas atividades são comuns a todos, como, por exemplo, o cálculo da resistência média de dosagem, a correlação da resistência à compressão com a relação água/cimento para determinado tipo e classe de cimento, sempre e quando um estudo de dosagem tiver por objetivo a obtenção de uma resistência especificada, sem descuidar da economia e da sustentabilidade que sempre devem nortear um estudo de dosagem contemporâneo.
A CONTECH realiza estudos de dosagem com objetivo de encontrar a melhor proporção entre os materiais que compõem o concreto, apresentando as características definidas em projeto.
Também realizamos o armazenamento e controle dos corpos de prova para posterior rompimento e controle estatístico da resistência.
Contate-nos.

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Fone: (62) 3264 7668
Celular: (62) 8258 3637

Contech realiza treinamento

Recentemente a empresa promoveu um treinamento teórico e prático nas áreas de solos e concreto afim de proporcionar qualificação e aperfeiçoamento na utilização de softwares, mantendo seu corpo técnico e operacional sempre apto a oferecer resultados confiáveis a seus clientes.

O treinamento foi realizado de 06 a 13 de janeiro de 2014 pelo Técnico formado pela ABCP - Associação Brasileira de Cimento Portland Sr. Luiz Irineu Donato, que têm mais de 10 anos de experiência na área de Concreto e Solos.

A CONTECH agradece pelo empenho e participação de todos.

Confira as fotos do treinamento abaixo.