Composição Granulométrica de Agregados

Esse ensaio é determinado pela NBR NM 248/2003 – ABNT – “Agregados – Determinação da composição granulométrica”.

A amostra de agregado é coletada conforme NM 26.

Método de ensaio:

a) As amostras de ensaio são secas em estuga e esfriadas à temperatura ambiente para determinação de suas massas (m1 e m2). Reserva-se a m2;

b) As peneiras são encaixadas em um único conjunto, com abertura de malha em ordem crescente da base para o topo, utilizando de um fundo de peneiras;

c) A amostra é colocada sobre a peneira superior, e, caso o material apresentar quantidade significativa de materiais pulverulentos, é feito um ensaio prévio de acordo com a NM 46;

d) O acúmulo de material sobre uma peneira pode provocar problemas no ensaio. Para evitar esses problemas, é determinada a quantidade mínima de 7 kg/m³ em peneiras menores de 4,75 mm e em aberturas maiores, a quantidade é calculada por uma expressão contida nessa norma;

e) Promove-se a agitação mecânica do conjunto, por um tempo razoável para permitir a separação e classificação prévia dos diferentes tamanhos de grão da amostra.;

f) A peneira superior do conjunto é destacada e agitada manualmente (com tampa e fundo falso encaixados) até que, após um minuto de agitação contínuo, a massa de material passante pela peneira seja inferior a 1% da massa do material retido;

g) O material retido na peneira é removido para uma bandeja identificada. A tela é escovada em ambos os lados para limpar a peneira. O material removido pelo lado interno é considerado como retido (juntar na bandeja) e o desprendido na parte inferior como passante;

h) Proceder à verificação da próxima peneira, como descrito no item f, depois de acrescentar o material passante na peneira superior, até que todas as peneiras do conjunto tenham sido verificadas. Caso a amostra tenha sido dividida, tomar nova porção e proceder, como descrito a partir da letra c;

i) A massa total de material retido é determinada em cada uma das peneiras e no fundo do conjunto. O somatório de todas as massas não deve diferir mais de 0,3% de m1;

j) Se não for possível a agitação mecânica do conjunto, é classificado manualmente toda a amostra em uma peneira para depois passar à seguinte. Cada peneira é agitada, com a amostra ou porção desta, por tempo não inferior a 2 min, procedendo à verificação do peneiramento conforme item f. Seguir de acordo com os itens de “g” a “i”;

k) Procede-se ao peneiramento da segunda amostra, de massa m2, conforme descrito nos processos acima.