Inchamento de Agregado Miúdo

Este ensaio é determinado pela NBR 6467/2006 – ABNT – “Determinação do inchamento de agregado miúdo – Método de ensaio”.

Inchamento de agregado miúdo: Fenômeno relativo a variação do volume aparente, provocado pela absorção de água livre pelos grãos do agregado, que altera sua massa unitária.

A amostragem dos agregados e sua redução para ensaio é realizada, respectivamente, de acordo com as ABNT NBR NM 26 e ABNT NBR NM 27, devendo ser enviada ao laboratório em quantidade no mínimo igual a duas vezes o volume do recipiente de ensaio (para agregados de massa específica normal, cerca de 45 kg de amostra).

O procedimento do ensaio é feito da seguinte forma:

a) A amostra seca é colocada sobre o encerado de lona ou dentro do misturador mecânico, homogeneizada e assim determinada a massa unitária do agregado de acordo com a ABNT NBR 7251;

b) Adiciona-se água em quantidades sucessivas, de modo a obter teores de umidade próximos aos seguintes – valores: 0,5%, I%, 2%, 4%, 5%, 7%, 9% e 12%, realizando a cada adição de água as seguintes operações:

i) homogeneização cuidadosa da amostra após cada adição de água, de forma manual ou com auxílio do misturador mecânico, evitando a perda de material da amostra;

ii) retirada de uma porção da amostra homogeneizada para determinação da massa unitária do agregado de acordo com a ABNT NBR 7251, registrando os resultados obtidos;

iii) retirada de uma outra porção da amostra homogeneizada para preenchimento de uma das cápsulas, identificando cada cápsula.

c) Após esse procedimento, as cápsulas contendo o agregado com diferentes teores de umidade são submetidas as seguintes operações:

i) determinação da massa de cada cápsula contendo o agregado (m,), registrando o resultado obtido;

ii) colocação das cápsulas destampadas e devidamente identificadas em estufa mantida a (105 I 5)”C, para secagem do agregado, durante 24 h ou até massa constante;

iii) retirada das cápsulas contendo o agregado da estufa e determinação de sua massa (mf).